sábado, 3 de maio de 2008

Sou entre


flor e nuvem, estrela e mar. Por que havemos de ser unicamente humanos,limitados em chorar?Não encontro caminhosfáceis de andar Meu rosto vário desorienta as firmes pedrasque não sabem de água e de arE por isso levito. É bom deixarum pouco de ternura e encanto indiferentede herança,em cada lugar.Rastro de flor e estrela,nuvem e mar.Meu destino é mais longe e meu passo mais rápido:a sombra é que vai devagar. Cecília Meireles

2 comentários:

Paulo Leopoldino disse...

nesse texto de Cecilia está explicado o porque do seu gosto pelo ceu.

beiijooo
;**

Natália disse...

Amor meu, amei o texto!
Tudo lindo cm sempre...
Ou, vem cá, cadê o texto sobre sábado a noite??

Te AMO.

Beijo Poeta poetisa ;p